terça-feira, 31 de julho de 2012

"O Arco de Cello"

Prezados, 
Mais uma contribuição do grande Rui. Quem tiver dúvidas, entre em contato que teremos o prazer de responder.

_____

A arte de tocar instrumentos clássicos de arco (viola, violino, violoncelo etc) envolve vários fatores. Desde a seleção do instrumento (tamanho, madeiras, etc) propriamente dito, a cordas, arco e outros acessórios. Ao tempo do aumento expressivo do compartilhamento de informações pelos meios eletrônicos encontramos uma discrepância de informações a acerca de arcos (peso, curvatura, equilíbrio e principalmente valores). Abordaremos neste post algumas dicas e referências que te auxiliará na aquisição de um bom arco para potencializar seus estudos. Não trataremos das técnicas de arcos (execução) e suas escolas, mas apenas sua estrutura física e faixa de preços.

Archetier (bowmaker)

Archetier (francês) também conhecido como bowmaker, é um artesão que se preocupa na construção e restauração de arcos (barroco, clássico e moderno), o qual possui habilidades especiais sobre as principais madeiras (pau-cobra, pau-brasil) para confecção e encrinamento de arcos. A maioria dos luthiers acabam agregando seus trabalhos a profissão de archetier. Outros profissionais optam em apenas construir instrumentos deixando o papel de desenvolvimento do arco para os archetier. Estes possuem seus trabalhos valorizados tão quanto a alguns luthiers, devido à precisão dos arcos construídos.

Prezados, segue alguns nomes e links. Informo que não temos qualquer relação de publicidade, marketing, ou comissão sobre as vendas de arcos por esses profissionais. A nossa intenção é compilar alguns profissionais desses ramo. Caso conheça outro, por gentileza, nos informe.


A escolha do arco

Parte da analogia (“se temos uma Ferrari vamos colocá-la em um rally?”) semelhante se temos um ótimo instrumento vamos utilizar qualquer arco sem balanceamento, com excesso/ausência de crina, sem equilíbrio e curvatura adequada. Logicamente, essas características se tornar grandes obstáculos em seus estudos. Após, a aquisição de um bom instrumento, a próxima etapa está na escolha de um bom arco.

Mas aqui está o “x” da questão. Muitos músicos pela sua inexperiência e falta de auxílio (professores, instrutores) não levam a sério a questão do arco. Geralmente os músicos que adquirem um Cello seja de loja e/ou luthier não se encorajam a comprar um bom arco... “paguei R$ xxxx,xx no instrumento, irei gastar mais R$ 400 R$ 1000 R$ 2500 em um arco”? Muita calma nesta hora pessoal. Deve ter em mente que nem sempre o mais caro é o melhor. Fazer um levantamento do material da construção do arco é mais importante do que simplesmente a etiqueta que vai grafada no arco.

A vareta geralmente é composta de madeiras nobres como pau-cobra (snakewood - mas com preço elevado) e pau-brasil (também conhecida como Pernambuco), sendo esta a melhor escolha para fabricação de arcos devida sua elasticidade e resistência. Temos outras madeiras, utilizadas para arcos mais simples e que possui baixo preço.

Arcos de fibra de carbono tem se mostrado opção interessante no mercado brasileiro, com uma grande variedade de preços e com diferencial de maior resistência quanto à curvatura. Porém, como está havendo um crescimento de produtos importados temos alguns fornecedores que estão oferecendo arcos de fibra de carbono fora dos padrões aceitos. O que torna o ditado popular uma verdade. “o barato sai caro”. Logo, pesquisem e façam inúmeras perguntas antes de fechar negócio.

Importante dizer que existe um estudo sobre arcos de Ipê (madeira), madeiras essa que se tem mostrado uma substituição ao Pau Brasil, ou melhor, uma segunda opção. Se quiser ler, click aqui. Em suma, trata-se de uma ótima madeira para arcos e com custo menor para estudantes. (atualmente eu tenho um, e digo que é melhor que muitos que vi por ai, apenas foi comprado em loja, o que não fazer dele um arco completamente equilibrado, mas em relação aos arcos que tive a oportunidade de tocar, ele é bom).

O equilíbrio correto de um arco é muito importante. O arco não deve ser demasiado pesado no talão e nem ser demasiado leve na ponta. Se for demasiado leve na ponta será difícil começar um som forte na parte superior do arco, se for demasiado pesado no talão será difícil controlar golpes de arco como o spicatto, e mudança de corda.

A curvatura do arco para instrumentos de cordas em especial o Cello é extremamente importante, pois o excesso (torna-o duro e desajeitado) e/ou falta (fraco e sem clareza nas articulações) limita a execução do instrumento. Assim como a crina que durante um determinado tempo de uso perde suas características, o arco pode perder sua curvatura se não guardado corretamente (afrouxado), podendo sua curvatura ser refeita por um archetier após uma análise prévia.

Um bom arco costuma ter a vareta flexível, com uma boa curvatura, peso bem distribuído entre suas extremidades (talão e ponta), ponto de contato equilibrado, crina de boa qualidade, etc. Geralmente um arco de Cello tem entre 82 e 85g podendo ter uma variação de até 12 gramas entre os arcos mais baratos e madeiras mais simples.

A crina do arco é tradicionalmente branca ou preta sendo que a crina preta é mais usada para arcos de contrabaixo. Existem crinas sintéticas, com preços mais acessíveis criadas para substituir as de cavalo, mas que não possuem o mesmo desempenho. A Crina do cavalo é considerada ainda o melhor material sendo os cavalos da região da Mongólia as mais utilizadas e digamos as mais “famosas”. Ao adquirir um arco de Cello verifique in loco a crina (nova ou usada). Conforme o ritmo de seus estudos deve-se ater a questão da crina reter a resina (breu). A crina perde com o tempo suas características naturais e com certeza seu desempenho tende a cair drasticamente. O peso das crinas do arco de violoncelo está em torno de 7,5g.

Todos esses elementos supracitados devem ser levados em consideração no momento da compra, pois faz uma enorme diferença tanto para segurar, quanto para emitir o som.

E por último o arco quanto sua forma. Existem basicamente dois modelos. Redondo e Octagonal. Não é nosso objetivo dizer qual é o melhor (Redondo e/ou octagonal), pois isso varia de músico para músico. O mais importante é levar em consideração a qualidade da madeira e sua estrutura (equilíbrio, crina etc).


Preço: (eita)

Realmente está parte é o terror de muitos R$ (eu) kkkkk.


Arcos de Archetiers (consulta recente) estão na seguinte faixa:



- estudantes R$ 350 a 550 encontra-se arcos até bons.



- intermediários R$ 600 700 800 (geralmente vem com talão de nickel) ótimos arcos! :)



- já os ditos profissionais varia entre 1000 a 2500 ou até mais... depende muito dos ornamentos e claro do Archetiers ( talão em ébano com prata / banhado a ouro | talão de tartaruga em prata | talão de chifre | talão imitação Marfim) são estes ornamentos que encarecem o arco. 



A grande maioria dos archetiers pesquisados trabalham com crina importada da Mongólia. Mesmo assim, vejo (minha opinião) que pelo preço aplicado a nível de estudante e intermédiário deve usar crinas de menor qualidade.

___

Fica registrada a as dicas. Caso tenha experiência, por gentileza, não deixe de compartilhar. Caso tenha dúvidas, entre em contato.

Abraços

Daniel e Rui

13 comentários:

  1. Ótimo post Daniel e Rui!! Muito obrigado! Começo minhas aulas amanhã =)

    Já vou guardando dinheiro pra comprar um arco melhor!

    Abraço

    Diogo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Diogo,

      Qualquer dica, por gentileza, deixe ela aqui no blog para nós.

      Sucesso nos estudos...

      Daniel

      Excluir
  2. Daniel,
    Realmente o post é bem interessante e a explicação clara para todos os tipos de leitores (estudantes, profissionais, futuros estudantes ...), mas, tenho dúvidas de como fazer a limpeza do arco para a retirada do excesso de breu, será que tem alguma dica?

    Grato pela atenção,

    Lucas

    ResponderExcluir
  3. Olá Lucas,

    o ideal é sempre passar uma quantidade adequada de breu no arco para que o mesmo não venha a acumular muito breu e produzir som arenoso pelo seu excesso. Breus de qualidade ótima, geralmente com 3 a 5 passadas são o suficientes em sua extensão.

    Neste caso em específico o qual você citou: "[...]como fazer a limpeza do arco para a retirada do excesso de breu." há um rit rejuvenecedor de crinas chamado PegDrop que além de removedor excesso de breu incrustado da crina dá uma renovada até bacana, fazendo com que a crina tenha alguns meses a mais de vida.

    Abraço.

    Rui

    ResponderExcluir
  4. Rui/Daniel, boa tarde.

    Já ouvi de outros violoncelistas que é bom lavar a crina com sabonete neutro ou até mesmo com álcool 92º, posso confiar em tal dica?

    Agradeço a atenção e mais uma vez elogio o blog e a atenção recebida neste post.

    Att,

    Lucas

    ResponderExcluir
  5. Olá Lucas.

    muitos tem essa mesma dúvida quanto ao que produto/forma de limpar a crina do arco. Como lhe disse existe DILUENTES DA COLOFONIA (Breu) que são fabricados e utilizados para este fim. Já utilizei o arco para retirada de breu em um arco de estudante bem simples para testes há 8 anos. Resultados? hummm não foi um dos melhores para lhe dizer. Já lavei a crina como citado. Não fica legal também. O ruim de lavar ou passar o álcool é a nova aderência do breu nesta crina. O breu fica com uma sensação de envelhecida ao invés de renovada. Demora secar. O PegDrop é ainda o melhor custo/benefício no momento. Agora podemos investigar a composição do produto para testarmos outras formas.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  6. Olá, qual a diferença do arco octagonal para o redondo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado.

      Não há nada muito concreto sobre este assunto (digo científico). Tudo depende da qualidade da madeira, mas, pelos comentários, arcos octagonal deve ter madeira de melhor qualidade, proporcionando melhor sonoridade.

      Acredito que esse modelo proporcione sons mais graves, mas nada concreto.

      Saudações
      Daniel

      Excluir
    2. Normalmente o arco octagonal é bem mais dificil fabricar - acertar o equilíbrio. O arco octagonal é um pouco mais firme e menos flexivel, mas claro tem exceçoes. A qualidede da madeira tem nada ver com isso. Existem arcos excelentes dos dois tipos.

      Excluir
  7. Daniel bom dia,

    fica aqui o elogio ao seu blog muito bem montado e explicativo,

    em relação ao assunto acima, você comentou que exite dois tipos de crina utilizada , a branca e a preta certo, a questão é qual a diferencia que tem de uma para outra?

    att.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Amigo.

      Veja, crina preta é mais para contra baixo. Ela retém melhor o breu. As crinas brancas é melhor para cello, violino e viola de arco.

      Apesar de alguns usarem a crina preta no cello (mas não fica muito bom).

      Saudações

      Excluir
  8. Boa noite, gostaria de saber mais sobre o arco barroco, dá pra usa-lo normalmente com cellos modernos? E outra, a maneira de tocar com ele é diferente do arco moderno? Parabens pelo blog!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Celso,

      Sim, vc pode usar ele normalmente. A forma de segurar o arco, não tenho muito conhecimento, mas pelo que sei, não se segura no talão...

      Mas confesso, não conheço muito a respeito.

      Excluir

Click no link "Notifique-me" ao lado direito para receber a resposta de seu comentário, bem como demais comentários dessa postagem no seu e-mail.